Estamos esquecendo aquilo que é importante

Escrevi esse texto para o jornal "Em Questão" do Alegrete, mas, por ser um credo pessoal, acho válido compartilhar aqui também. Boa leitura.   Estamos esquecendo aquilo que é importante O som da chuva batendo na janela do quarto quando tentamos dormir. A risada de uma criança brincando no parquinho. O urro da multidão quando … Continue lendo Estamos esquecendo aquilo que é importante

Anúncios

Obras Inquietas – 63. “O ódio” (1896), de Pietro Pajetta

Na minha coluna dessa semana no "Obras Inquietas" lá no Artrianon, eu falei sobre um quadro do pintor Italiano Pietro Pajetta, "O ódio" (1896), que, bom, como dá para ver pela imagem, captura o exato momento em que começará uma necrofilia. Ele está baseado em duas situações diferentes, mas complementares. O fato - a violação … Continue lendo Obras Inquietas – 63. “O ódio” (1896), de Pietro Pajetta

Crônica: “O mundo nos olhos de um cavalo”

Outra crônica que publiquei no jornal Em Questão, do Alegrete. O que mais gostei nesse texto foi a minha serenidade na condição de autor. Em geral, escrever é um ato que tenta disciplinar (sem sucesso) o caos interno de dezenas de vozes e ideias que se jogam, potros enlouquecidos tentando escapar do cativeiro mental ao … Continue lendo Crônica: “O mundo nos olhos de um cavalo”

Obras Inquietas. 62 – “Anima dannata” (1619), de Gian Lorenzo Bernini

Sou um aficcionado pelas esculturas de Bernini e, no texto que escrevi para o Obras Inquietas dessa semana, falei de um busto que ele esculpiu em torno de 1619, na época em que ainda era jovem e estava testando o seu estilo. Depois Bernini ficaria mais sutil, mais diáfano - é incrível como consegue deixar … Continue lendo Obras Inquietas. 62 – “Anima dannata” (1619), de Gian Lorenzo Bernini

Obras Inquietas – 61. “Autoretrato com máscaras” (1899), James Ensor

Nessa semana, no Obras Inquietas lá no Artrianon (www.artrianon.com), eu falei sobre "Autoretrato com máscaras", obra do pintor belga James Ensor. Não tão conhecido quanto outros pintores do mesmo período (apesar de ser renomado na Europa), o que torna Ensor um artista notável é a sua capacidade de retratar multidões como uma forma de crítica … Continue lendo Obras Inquietas – 61. “Autoretrato com máscaras” (1899), James Ensor

Obras Inquietas – 60. “A Garota Cega” (1856), Sir John Everett Millais

Nessa semana, no "Obras Inquietas", eu tratei de um dos meus pintores favoritos, Sir John Everett Millais. Preferi uma obra nem tão conhecida, mas que encerra uma série de significados. Em "A Garota Cega" (1856), as duas irmãs estão na beira da estrada quando ocorre um duplo arco-íris, que deixa assustada a que enxerga. A … Continue lendo Obras Inquietas – 60. “A Garota Cega” (1856), Sir John Everett Millais

Obras Inquietas – 59. “Esperança e Desesperança de Ángel Gavinet” (1977), Eduardo Arroyo

Nessa semana, no Obras Inquietas, eu escolhi um quadro do pintor espanhol Eduardo Arroyo, "Esperança e Desesperança de Ángel Gavinet" (1977). Gavinet era um escritor e ensaísta espanhol que, ao ser diagnosticado com uma doença degenerativa, receando o sofrimento que lhe esperava, decidiu matar-se, jogando-se no rio Divina. Por muitos anos esse assunto fascinou Arroyo, … Continue lendo Obras Inquietas – 59. “Esperança e Desesperança de Ángel Gavinet” (1977), Eduardo Arroyo

Obras Inquietas – 58. “Autoretrato com Morte tocando Violino” (1872), Arnold Böcklin

Nessa semana no "Obras Inquietas", eu escrevi sobre o quadro "Autoretrato com Morte Tocando Violino" (1872), do pintor suíço Arnold Böcklin, um homem que esteve cercado pela morte desde que nasceu e que estabeleceu com ela um relacionamento, senão amigável, ao menos respeitoso. Não se sabe direito o que ele quis retratar nesse quadro, mas … Continue lendo Obras Inquietas – 58. “Autoretrato com Morte tocando Violino” (1872), Arnold Böcklin

Obras Inquietas – 57. “Retrato de Família” (1954), Dorothea Tanning

Nessa semana, no "Obras Inquietas", eu falei sobre um quadro da pintora surrealista Dorothea Tanning, "Retrato de Família". Dorothea é mais conhecida pelos seus trabalhos literários, que são muito elogiados, mas não se pode esquecer a sua importância para a pintura, arte na qual se destacou desde a adolescência. Na época em que fez esse … Continue lendo Obras Inquietas – 57. “Retrato de Família” (1954), Dorothea Tanning