Resenha do livro “Urubus em círculos cada vez mais próximos”, de Cesar Cardoso

Escrevi para o Homo Literatus (www.homoliteratus.com) uma resenha sobre o livro "Urubus em círculos cada vez mais próximos", do Cesar Cardoso. Uma 0obra formada exclusivamente por minicontos, levando ao máximo a tensão narrativa e usando para isso o mínimo de palavras e descrições. O conto no seu estágio mais bruto, mais selvagem. Não é algo … Continue lendo Resenha do livro “Urubus em círculos cada vez mais próximos”, de Cesar Cardoso

Anúncios

Resenha do livro “Poesia Reunida”, de Adélia Prado

O Amálgama (www.revistaamalgama.com.br) pediu para que eu resenhasse "Poesia Reunida", da escritora mineira Adélia Prado, um volume que reúne toda a sua obra poética. Foi um grande prazer realizar uma releitura da Adélia, descobrir poemas que não conhecia e lembrar de outros que já tinha lido. Foi um dos poucos livros de poesia que, assim … Continue lendo Resenha do livro “Poesia Reunida”, de Adélia Prado

Resenha de “O Homem Despedaçado” no Iluminerds

Ando um pouco displicente em falar aqui no blog sobre as leituras que tenho feito, os filmes que andei assistindo e, em especial, algumas resenhas e comentários que foram feitos nos últimos tempos sobre "O Homem Despedaçado", que, para os leitores que ainda não sabem, foi o livro de contos que lancei pela editora Dublinense … Continue lendo Resenha de “O Homem Despedaçado” no Iluminerds

Outra resenha no Amálgama

Saiu mais uma resenha minha no Amálgama (www.amalgama.blog.br). Desta vez, trato do livro "Balzac e a Comédia Humana", de Paulo Rónai, livro de ensaios do escritor húngaro naturalizado brasileiro abordando várias possibilidades e chaves de leitura da portentosa obra de Honoré de Balzac, que está sendo relançada no Brasil. Para quem já conhece o livro … Continue lendo Outra resenha no Amálgama

Nova resenha no Amálgama

E prosseguem as minhas resenhas no Amálgama (www.amalgama.blog.br). Desta vez, eu tratei do livro "Viagens na minha terra", do português Almeida Garrett, uma narrativa deliciosamente caótica que pretende ser uma provocação a Xavier de Maistre: se o espanhol pode fazer um livro viajando pelo seu quartoi, por que o português não pode escrever um manual … Continue lendo Nova resenha no Amálgama

Filme: “Procura-se um amigo para o fim do mundo” (2012)

Ontem, dia 20 de dezembro de 2012, o mundo deveria ter acabado. Como era de se esperar, tal fato não aconteceu. Bem, se tivesse acontecido, neste exato momento eu não estaria escrevendo e sim seguindo o plano de sobrevivência traçado muitos anos atrás, ou seja, estaria procurando alguma fonte de água potável e ferramentas que … Continue lendo Filme: “Procura-se um amigo para o fim do mundo” (2012)

Livro: “Silente”, de Renato Tardivo

  Daqui a alguns (ou muitos) anos, quando falarem da literatura das primeiras décadas do século XXI, com o necessário distanciamento que somente a passagem do tempo é capaz de proporcionar, talvez os teóricos e analistas se debrucem sobre as peculiaridades da produção literária de São Paulo. O Rio Grande do Sul anda repleto de … Continue lendo Livro: “Silente”, de Renato Tardivo

Livro: “Em que coincidentemente se reincide”, de Leila de Souza Teixeira

Nos últimos anos, com base nas leituras que fiz (e foram várias), percebi que a literatura oscila entre dois pólos: um deles é aquele defendido por Borges, que afirma desejar a obra absoluta, um livro sobre tudo, o "Liber Mundi". Nele estaria sintetizado o universo, todas as histórias já escritas e ainda por escrever. Seria … Continue lendo Livro: “Em que coincidentemente se reincide”, de Leila de Souza Teixeira

Livro: “A árvore que falava aramaico”, de José Francisco Botelho

O maior elogio que um escritor pode conceder para outro é admitir que gostaria de escrever um livro igual. Contudo, esta é a mais absoluta das impossibilidades. Não existem dois livros idênticos: mesmo se o escritor copiasse o livro do outro, ele teria a sua visão de mundo, já nos ensinou Borges no "Pierre Menard, … Continue lendo Livro: “A árvore que falava aramaico”, de José Francisco Botelho