Obras Inquietas – 54. “A paraguaia – Imagem de seu país desolado” (1880), Juan Manuel Blanes

Passei um tempo um pouco adoentado - mentira, foi forte, mas me recuso a aceitar essa evidência por motivos de teimosia -, e minha coluna no Artrianon acabou prejudicada. No entanto, agora estou voltando à carga, e nada melhor do que Juan Manuel Blanes para dar uma "up" no meu estado de espírito. Gosto muito … Continue lendo Obras Inquietas – 54. “A paraguaia – Imagem de seu país desolado” (1880), Juan Manuel Blanes

Anúncios

Eu me recuso a aceitar o fim do homem – o discurso de Faulkner

Revisando algumas anotações antigas, acabei me deparando novamente com essa preciosidade que é o discurso de aceitação do Nobel de Literatura de 1949 proferido por William Faulkner. Palavras tão sensatas que merecem ser relidas e inscritas a ferro na memória, ainda mais nos tempos em que vivemos (tradução de Yuri Vieira): “Senhoras e senhores, sinto … Continue lendo Eu me recuso a aceitar o fim do homem – o discurso de Faulkner