Um conto para você, leitor e leitora do blog

Olá, leitor e leitora do blog. Sim, você mesmo. Não olhe para trás, não estou falando com outra pessoa. Pois é, hoje vim falar com você mesmo. Rompi a barreira que separa autor do leitor, e resolvi deixar de ter um texto como intermediário para conversarmos de forma direta. Em primeiro lugar, para pedir desculpas. … Continue lendo Um conto para você, leitor e leitora do blog

Anúncios

Obras Inquietas – 25. “Bela Adormecida” (1899), Henry Meynell Rheam

No meu texto dessa semana no "Obras Inquietas", eu falei sobre uma pintura de Henry Meynell Rheam, um pintor pré-rafaelita, chamada "Bela Adormecida" (1899). Existe algo que sempre me deixa perplexo sobre esse quadro. Quando estamos dormindo, ficamos vulneráveis e, nessa condição, qualquer coisa pode acontecer. A sensação de que alguém espia a nossa vigília … Continue lendo Obras Inquietas – 25. “Bela Adormecida” (1899), Henry Meynell Rheam

O estímulo à leitura da Librairie Mollat, de Bordeaux

Uma das contas do Instagram que me dá mais alegria de acompanhar é a da Librairie Mollat, que fica em Bordeaux, na França. Isso por que os funcionários e clientes do local encontraram uma maneira muito criativa de entusiasmar a leitura: passaram a usar as capas do livro como parte dos seus semblantes. Alguns anos … Continue lendo O estímulo à leitura da Librairie Mollat, de Bordeaux

Obras Inquietas – 24. “Garota comendo pássaro (O prazer)”, 1927, René Magritte

No meu texto da semana passada no "Obras Inquietas", eu falei de "Garota comendo pássaro (O prazer)", de René Magritte, um dos meus pintores surrealistas favoritos. O que eu mais gosto nos quadros de Magritte é o deslize abrupto entre o título e a imagem. No caso desse, o título é espantosamente linear em relação … Continue lendo Obras Inquietas – 24. “Garota comendo pássaro (O prazer)”, 1927, René Magritte

Muita calma nessa hora

Em um mundo cada vez mais caótico, manter o controle deixou de ser uma virtude e passou a ser uma arte. Tudo conduz ao descontrole: notícias desordenadas brigam com cronologias e induzem pânico, ao mesmo tempo em que damos risadas nervosas de piadas feitas no calor do momento; pessoas matam por fatos mínimos e morrem … Continue lendo Muita calma nessa hora

Como melhorar uma história usando assassinatos

Uma interessante - e divertida - moda está crescendo no mundo literário anglo-saxão. Muito melhor do que autoficção e representatividade, questões amplamente não-literárias que transformaram a literatura brasileira em um longo e enfadonho desfile de platitudes, egos e estatísticas. Ela começou com uma reflexão sobre as regras de escrita de Elmore Leonard. São regras bem … Continue lendo Como melhorar uma história usando assassinatos

Crônicas de um ano inteiro: “Manter silêncio no Dia Internacional das Mulheres”

No meu texto dessa semana no "Crônicas de um ano inteiro", eu falei sobre a literatura como o mais vertiginoso exercício de alteridade que existe - e o motivo pelo qual o silêncio pode ser uma atitude mais construtiva do que ficar fazendo textões no Dia Internacional da Mulher. Boa leitura. Manter silêncio no Dia … Continue lendo Crônicas de um ano inteiro: “Manter silêncio no Dia Internacional das Mulheres”

Obras Inquietas: 23 – “Remake da Pietà” (2011), Jan Fabre

Na minha coluna dessa semana no "Obras Inquietas", lá no Artrianon, eu falei sobre uma escultura de Jan Fabre, "Remake da Pietà" (2011). Na época da sua realização, essa obra foi extremamente polêmica. Era uma releitura da "Pietà" de Michelangelo, e comparar Maria à Morte foi considerado um insulto por muitos católicos. Além disso, o … Continue lendo Obras Inquietas: 23 – “Remake da Pietà” (2011), Jan Fabre