A biblioteca em um poema de Yeats

Sempre que me sinto triste ou acuado, é em W. B. Yeats que busco forças. Não sei explicar o poder que as palavras dele possuem, mas me acalmam quando estou agitado e me perturbam quando estou tranquilo.

Hoje recordei dessa beleza de poema, “Where my books go”. Para mim, sempre foi a representação perfeita de uma biblioteca, local onde os livros se encontram e as palavras abrem suas asas e se esticam livremente entre as suas iguais. Mas, a maturidade chegou na minha vida, e assim percebi que o poema vai muito além dos seus propósitos: ele é uma definição de Paraíso. O local onde os livros estão é o local em que meu espírito triste vai encontrar conforto.

Além disso, Yeats sintetizou aquele que deveria ser o maior propósito de um escritor: emendar sentimentos quebrados por meio das suas palavras. Trazer luz para uma pessoa envolta por sensações sombrias. Cantar esperanças quando o mundo sufoca ao redor.

Dentro de uma biblioteca – ou em qualquer lugar onde exista um livro -, a Morte não entra. O local para onde os livros vão é para dentro do leitor, onde cantam para ele no silêncio da noite.

Yeats, sempre inspirador.

where-my-books-go-yeats

pppppp

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Livro, Where my books go, Yeats

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s