Como conviver com o silêncio

Desde antes de nos conhecermos como seres humanos, ele já caminha ao nosso lado, onipresente e distante. Alguns o consideram temível, outros o veem como um bálsamo. O silêncio possui muitas facetas, mas há quem o considere o verdadeiro criador do Tempo, o Deus que está por tudo e dentro de cada coisa. As pessoas … Continue lendo Como conviver com o silêncio

Anúncios

Texto publicado na revista eletrônica da Dublinense (17/08/2016): “O espírito livre de quem sabe se divertir”

Na minha coluna dessa semana no Medium da Dublinense, falo deste estranho hábito das pessoas (em especial os artistas) de ficarem o tempo inteiro reclamando ao invés de se divertirem com aquilo que lhes acontece. Mas, como não sou trigo limpo, falo de artistas que se divertiram para dedéu, tipo o Baudelaire, que fez um … Continue lendo Texto publicado na revista eletrônica da Dublinense (17/08/2016): “O espírito livre de quem sabe se divertir”

Texto publicado na revista eletrônica da Dublinense (10/08/2016): “Os livros atrapalhados”

Na minha coluna dessa semana no Medium da Dublinense, eu falei dos livros que chegam na hora errada da vida dos leitores e fazem uma confusão danada. Mas também falo do dia em que escandalizei uma plateia ao confessar que o livro mais assustador de todos é "Éramos seis", da Coleção Vagalume; falo de Michel … Continue lendo Texto publicado na revista eletrônica da Dublinense (10/08/2016): “Os livros atrapalhados”

Texto publicado na revista eletrônica da Dublinense (02/08/2016): “Três lições que a literatura me ensinou”

Na minha coluna dessa semana no Medium da Dublinense, eu cometi uma indiscrição com a equipe de gincana estudantil que me contatou e resolvi escrever um texto mais comprido do que duas linhas sobre o que a literatura me ensinou. Só coloquei três lições, mas evidente que foram muito mais. E só citei Pushkin, Stevenson … Continue lendo Texto publicado na revista eletrônica da Dublinense (02/08/2016): “Três lições que a literatura me ensinou”

O beijo queimou-lhe o coração, mas persiste na sua Ideia

Assusta um pouco que, na festa em comemoração aos seus noventa anos, Bertrand Russell tenha iniciado o discurso do seu brinde com a seguinte frase: "Durante toda a minha vida ouvi dizer que o homem é um animal racional. Em todos esses anos, não encontrei nenhuma prova disso." É preocupante. Estamos falando de alguém que … Continue lendo O beijo queimou-lhe o coração, mas persiste na sua Ideia