Apontamentos sobre “O som e a fúria”, de Faulkner

  A mais difícil experiência no ato de escrever um livro é encontrar a voz da narrativa, aquela sensação de desconforto interno que leva uma pessoa a abandonar a vida cotidiana para se enfurnar nos campos da fantasia. William Faulkner necessitou ser recusado três vezes por editoras para se refugiar no silêncio da própria literatura … Continue lendo Apontamentos sobre “O som e a fúria”, de Faulkner

Anúncios

Cecília Meireles e como virar uma eternidade

Existe algo de imenso em uma pessoa que consegue manter a calma no meio de um oceano bravio de acontecimentos. A pessoa que controla o seu centro e não deixa o mundo lhe destroçar com dentes raivosos que gotejam fúria. A pessoa que sobrevive aos ataques incessantes do dia a dia e consegue ver a … Continue lendo Cecília Meireles e como virar uma eternidade

Ortega y Gasset e a vida como um magnífico repertório de possibilidades

Recebo uma foto do meu afilhado, do alto dos seus quatro meses de existência, e o seu olhar azul me dilacera. Está tudo ali: curiosidade, encanto, ironia, tranquilidade, amor. Ele não conhece ainda os nomes dos sentimentos, mas já sabe senti-los. Na forma com que encara a câmera - e o mundo que lhe cerca … Continue lendo Ortega y Gasset e a vida como um magnífico repertório de possibilidades

Texto novo no Literatortura (07/03/2015): “O Dia Internacional do Homem (versão 2015)”

Saiu um texto meu no site do Literatortura (www.literatortura.com).   Na quarta feira desta semana, de repente, do nada, descobri-me misógino. Um amigo perguntou-me se um texto que andava pelo Facebook, "O Dia Internacional do Homem", me pertencia. Ao ler o texto, descobri que, sim, fui eu quem o escrevi, em 1999, numa disciplina da … Continue lendo Texto novo no Literatortura (07/03/2015): “O Dia Internacional do Homem (versão 2015)”

Artemísia Gentileschi ou a arte como instrumento de vingança

Nos últimos tempos, não foram poucas as pessoas que me mandaram a mesma imagem de uma camiseta ou de um cartaz, com os seguintes dizeres: "Tome cuidado ao namorar um(a) escritor(a). Se ele(a) não gostar de algo que você fez, irá puni-lo(a) na sua obra". Existem muitas variações, mas a intenção geral da frase é … Continue lendo Artemísia Gentileschi ou a arte como instrumento de vingança