As histórias que caminham entre nós

Um dos maiores engodos que as pessoas acreditam é que literatura se faz com palavras, ou com livros, ou com criatividade. Nada disso importa muito. Para escrever, o essencial é estar atento. As histórias infestam o mundo; caminham impunes por aí, respiram o nosso ar, oferecem-se aos nossos olhos. São a argamassa que sustenta a … Continue lendo As histórias que caminham entre nós

Anúncios

Flaubert e o desespero como estado natural

Poucos escritores se entregaram de forma tão intensa ao sofrimento de criar quanto Flaubert. Estou relendo "Cartas Exemplares de Gustave Flaubert", publicado em 1993 pela Imago Editora, e deparo-me com um filme de terror descrito em detalhes quase milimétricos. Flaubert esmiuça a sua rotina. Descreve os hábitos, a busca pela palavra correta, o desenvolvimento agonizante … Continue lendo Flaubert e o desespero como estado natural

Tchékhov e a importância de falar sobre torta de frutas

* Em primeiro lugar, um agradecimento especial às três adolescentes que me encontraram anteontem no shopping, tiveram a coragem de se aproximar, perguntar se eu era mesmo Gustavo Chester - como se existisse outra possibilidade de eu ser eu sem ser eu mesmo - e, após se identificarem como leitoras assíduas deste blog e tirarem … Continue lendo Tchékhov e a importância de falar sobre torta de frutas

Homenagem aos heróis desconhecidos

Há alguns anos a mesma história me assombra. Imaginei que fossem um ou dois anos, e descobri que já se passaram incríveis 11 anos. O fato de ainda recordar de tantos detalhes é um tributo para a permanência das verdadeiras sagas, um motivo pelo qual ainda falamos da "Ilíada", da "Eneida", do "Gilgamesh", do "Vedas", … Continue lendo Homenagem aos heróis desconhecidos