O silêncio dos canhões

Todo objeto nasce com uma sina, assim como todo homem. Retirem o nome de alguém e o possuirão. Retirem a função de algo e ele vira o arremedo da sua própria criação, um pastiche. Uma risada. Um desconforto. Estou no Forte Santana, em Florianópolis, SC. O sol insulta as pedras brancas. O barulho onipresente de … Continue lendo O silêncio dos canhões

Anúncios

Os muitos amores

No meio desse mundo que se perde em intransigências e irrelevâncias, serei ousado e falarei do mais ingrato dos temas: o amor. Inicio com duas cenas. A primeira: no hotel em que estou em Florianópolis, todos os dias encontro no restaurante o mesmo casal. Aparentam se conhecerem há muitos anos. O homem guarda o lugar … Continue lendo Os muitos amores