Sonho com aranhas

Esta noite sonhei com aranhas, e elas entravam pelo meu nariz, pela boca, corriam por entre os cabelos, beliscavam as orelhas, arranhavam os olhos. Não tenho problemas com aranhas. Nem medo, nem receio, nem nada. Inclusive admiro a construção estrutural das suas teias, ainda que me intrigue - e ninguém conseguirá encontrar uma explicação capaz … Continue lendo Sonho com aranhas

Anúncios

Antônio Prado, RS

No feriado do 20 de Setembro, fomos passear em Caxias e acabamos estendendo a viagem até Antônio Prado, cidade cujo casario original dos imigrantes italianos foi declarado patrimônio nacional. Um dos objetivos deste blog era falar de viagens e das coisas estranhas que se vê por aí. Tudo sempre é uma questão do olhar, ficcionalizar … Continue lendo Antônio Prado, RS

Evento: “FestiPoa Literária revisada e sampleada”, em 25/09/2012

Iniciar um texto pedindo desculpas antecipadas nunca é uma atitude prudente: ou o autor desqualifica o próprio texto logo no início, quando ele ainda está engatinhando, ou cria a expectativa de que declarações muito sérias serão realizadas, tão graves que necessitam de justificativas prévias ou de uma piscada de olhos do tipo "foi mal aí, … Continue lendo Evento: “FestiPoa Literária revisada e sampleada”, em 25/09/2012

O livro que está me queimando devagar

Estou sofrendo bullying literário. Quem me acompanha pelo Facebook, observou que, nas últimas semanas, descobri uma rede secreta de admiradores do Guimarães Rosa. Começou como uma brincadeira: descobri que uma amiga gostava de Guimarães Rosa, e achei isto tão difícil de encontrar neste mundo repleto de leitores com gostos tão esdrúxulos e de preferências tão … Continue lendo O livro que está me queimando devagar

Mais criatividade, menos choro

Um dos maiores erros que as pessoas cometem é pensar que, entre escritores, pintores e artistas em geral, existem seres repletos de imaginação e saídas criativas para todas as adversidades. Não é o que acontece. No lugar onde deveria abundar criatividade, o que mais existe são soluções retrógradas, ideias pasteurizadas e comodismo. Onde deveria fermentar … Continue lendo Mais criatividade, menos choro

Filme: “Jane Eyre” (2012)

  Li "Jane Eyre", da Charlotte Brontë, há muitos anos. Tão logo comecei a assistir este filme novo, "Jane Eyre", lançado em 2012, a história não aparecia com precisão na memória, vinha somente na forma de uma sombra enevoada. Eu não lembrava mais do livro, nem da trama, nem dos personagens. Tinha uma vaga recordação … Continue lendo Filme: “Jane Eyre” (2012)

Analisando estatísticas – parte 5 (final)

É, amigos leitores, aconteceu aquilo que eu imaginava impossível no início do ano: fechei 5.000 acessos. Levei três semanas para completar mais 1.000 acessos, ou seja, menos uma semana do que aconteceu na penúltima oportunidade. Eu sei que existem centenas de blogs que têm 5.000 acessos por dia, talvez por hora, mas, para um blog … Continue lendo Analisando estatísticas – parte 5 (final)

Sobre cantares repletos de impossível

Em um trabalho publicado na Animal Behaviour (http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0003347212003569), leio que uma espécie de pássaros, os western scrub-jays (não possui nome em Português), realizam um rápido ritual de luto assim que enc0ntram um de seus companheiros mortos. Tão logo enxergam o cadáver no chão, quem o descobriu pára o que está fazendo e emite um estridente … Continue lendo Sobre cantares repletos de impossível