Leitura alternativa para o conto “O homem despedaçado”

Acabo de receber uma interessante possibilidade de interpretação do conto “O homem despedaçado”, que dá título (e espinha dorsal) para o livro que escrevi.

Meu amigo Matheus Scozziero – que se auto-intitula “péssimo leitor”, sabe-se lá o que significa este título – disse ter certeza que o narrador do conto estava falando consigo mesmo no espelho. Ou seja, o amigo do narrador e seu anfitrião no jantar que inicia o conto teria sido criado pelo próprio narrador (ou, em última análise, pelo espelho). A chave para o surgimento do mistério, o agente catalisador que forçou o narrador a sair da ignorância e descobrir o segredo dos homens infinitos, estaria o tempo inteiro na sua própria loucura, de ver a si mesmo diante do espelho e imaginar dois.

Olhando por este ângulo, este amigo teria sido o primeiro homem a ser despedaçado, e dele saiu uma outra pessoa, tão diferente que possibilitava a interação, diálogos e até uma convivência amistosa.

Inquieta saber que a exposição demasiada diante de espelhos pode enlouquecer uma pessoa e fragmentar a sua psiquê.

Esta possibilidade de leitura trouxe à minha recordação o quadro de Paul Delvaux, “Woman in a cave”. Em sala de aparência decadente, uma mulher vestida se contempla no espelho; a imagem refletida é dela nua, na mesma sala, mas com uma janela atrás revelando uma casa de campo espreitada por árvores (gosto de ver a árvore que se destaca, parece um general passando instruções para as suas tropas). Existe uma evidente disparidade entre a imagem revelada pelo espelho e a realidade. O espelho revela aquilo que a pessoa quer ver.

Será possível que os espelhos estejam nos mentindo o tempo inteiro?

"Woman in a cave", do Paul Delvaux: bom exemplo de que o espelho revela aquilo que queremos ver

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Leitura alternativa para o conto “O homem despedaçado”

  1. Matheus

    Meu amigo gustavo, me sinto lisonjeado por ser sitado e lembrado como leitor do homem despedaçado pelo próprio escritor e muito orgulhoso por poder contribuir com o que pode ser mais uma versão desta obra que nos possibilita interpretar de muitas formas as várias estórias deste livro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s