Duas descrições

Postagem rápida, quase encerrando o ano. Duas descrições não saem da minha cabeça. A descrição literária é uma arte que se encontra em desuso: para ser eficiente, precisa ser reduzida. Para ser reduzida e caber a integralidade da imagem, é imprescindível que ela seja exata. No livro do Gabriel Garcia Márquez, "Como contar um conto" … Continue lendo Duas descrições

Anúncios

Problemas inesperados com o Lovecraft

Após começar a revisar as histórias que escrevi em homenagem ao grande mestre do terror H.P. Lovecraft, meu amigo Tiago Maraschin apontou um problema singular: elas estão muito parecidas com o Lovecraft. Ou seja: de tanto pesquisar os temas, os estilos, a construção argumentativa, as descrições, os cenários e os cacoetes linguísticos, eu escrevi histórias … Continue lendo Problemas inesperados com o Lovecraft

Sobre o ar

Hoje, passei boa parte da manhã acompanhando a instalação de um condicionador de ar split na minha fortaleza de Teutônia, que estava sendo literalmente incendiada pelo implacável sol do verão gaúcho (existia um receio não-confessado que tamanho sol pudesse incendiar os meus livros, mas acredito que seja improvável. Em todo o caso, coloquei a estante … Continue lendo Sobre o ar

Álbum: “Beethoven’s Last Night”, de Trans-Siberian Orchestra

Sempre gostei de álbuns conceituais. São álbuns que, além da música, apresentam também uma concepção geral de tema, uma coluna vertebral de assuntos, sobre os quais oscila a música em múltiplas variações. Bem feito, um álbum conceitual tem quase o mesmo valor de um livro, pois possui história, trama, mistério, personagens, todos os ingredientes de … Continue lendo Álbum: “Beethoven’s Last Night”, de Trans-Siberian Orchestra

Livro: “1599 – Um ano na vida de William Shakespeare”, de James Shapiro

Assim que vi o livro, o primeiro elemento que chamou a minha atenção foi a capa. Este tom acobreado, com os barcos em um final de tarde singrando o Tâmisa, conquistou-me desde o início.  Quando vi a proposta do autor - pegar um ano na vida de William Shakespeare, o ano mágico em que ele … Continue lendo Livro: “1599 – Um ano na vida de William Shakespeare”, de James Shapiro

Gramáticos, mulheres briguentas e epigramas

Lendo os epigramas de Paladas de Alexandria, escritos no século IV D.C., descubro esta preciosidade: "IX: 169 A cólera de Aquiles foi motivo, para mim também, de funesta pobreza ao me tornar gramático. Prouvera com os gregos me matasse aquela cólera antes que me arruinasse a amarga fome da gramática. No entanto, para que Agamemnon … Continue lendo Gramáticos, mulheres briguentas e epigramas